Data mesh: conheça essa nova tendência

AUTOR: Roberto Matos

2 min. de leitura

Data mesh: conheça essa nova tendência

Autor: Roberto Matos

2 min. de leitura

Com tantos avanços tecnológicos, tendências no mundo digital são cada vez mais comuns.

Quando o assunto é arquitetura de dados, as novidades giram em torno de tendências que surgem como forma de facilitar a democratização dos dados dentro de uma empresa, por exemplo. 

Neste cenário, há uma novidade que está surgindo nas organizações: o data mesh. Em linhas gerais, o data mesh – ou malha de dados – ajuda as empresas a tratar problemas associados à grande escala dos dados que são analisados diariamente.

E você já ouviu falar em data mesh ou gostaria de se aprofundar melhor no assunto? Então, não perca nossa postagem de hoje aqui no blog da Keep.i. Acompanhe!

Data mesh: o que é?

Proposto por Zhamak Dehghani, diretora de tecnologia na ThoughtWorks, no artigo “How to Move Beyond a Monolithic Data Lake to a Distributed Data Mesh”, o Data Mesh é uma das tendências no mundo digital quando falamos em arquitetura de dados. 

Como mencionado no início do texto, a Dehghani propôs uma nova abordagem para a arquitetura de dados a fim de facilitar a democratização em escala dos dados na empresa.

Dessa maneira, o Data Mesh usa uma abordagem derivada do design orientado por domínio e a introduz no mundo dos dados. 

É preciso ressaltar, a princípio, que tal democratização de dados não pode ser alcançada sem a descentralização e a priorização da experiência dos consumidores de dados.

Sendo assim, o Data Mesh potencializa a análise em escala, para fornecer o acesso rápido aos conjuntos de domínios distribuídos de rápido crescimento.

Por dentro dos benefícios do Data Mesh

As limitações da arquitetura de dados atual pode ser um grande problema para as organizações que precisam aproveitar os dados à sua disposição para ganhos na transformação de processos. 

Por isso, o data mesh aparece como uma forma de corrigir algumas dessas preocupações e por oferecer benefícios frente à abordagem tradicional do gerenciamento de Big Data, como por exemplo:

  • Evitar finalidades cruzadasOs especialistas em dados e, até mesmo, os consumidores acabam trabalhando com finalidades cruzadas, já que operam sob perspectivas divergentes, o que pode prejudicar a produtividade. Por isso, o data mesh oferece mais eficácia e know-how para mapear análises de forma com que as correlações possam ser estabelecidas em relação aos fundamentos de negócios.
  • Facilitar os pipelines

De forma geral, os pipelines criam gargalos devido ao isolamento dos processos de ingestão, transformação e entrega de dados. Assim, será possível que diferentes departamentos possam lidar com diversos conjuntos de dados com colaboração mútua, o que facilitará a integração e transformação de forma significativa.

  • Acompanhar o crescimentoPor fim, as plataformas monolíticas, bem como warehouses e lagos, não possuem a diversidade de fontes de dados e estruturas específicas de domínio para gerar insights valiosos a partir dos dados crescentes. O data mesh permite que o conhecimento específico do domínio crucial não se perca nas plataformas centralizadas, permitindo que os engenheiros de dados façam correlações significativas entre diferentes pontos de dados para gerar análises precisas que representam realidades operacionais.

Está vendo como o Data Mesh pode ser uma realidade que facilita o trabalho e a organização de dados de uma empresa? E você, o que achou deste assunto? Comente com a gente a sua opinião! 

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp